© 2023 by SMALL BRAND. Proudly created with Wix.com

RESIDÊNCIA LARGO DAS ARTES PROGRAMA CLARABÓIA 

A série de instalações apresentadas na exposição "A nacionalidade dos obejtos' revelam o continuo desejo de buscar a pintura em outros meios. O trabalho, ‘Pintura tridimensional’  é a reorganização do plano pictórico, o papel, inicialmente retangular, é desenhado frente e verso, recortado, dobrado e torcido para ganhar tridimensionalidade. O ‘Objeto pictórico I / Balões’ e o ‘Objeto pictórico II / Clarabóia’ retratam a cultura popular através do papel seda. O primeiro nas formas dos balões em si, formando um corpo pictórico que ocupa o espaço e o segundo explorando a transparência do papel seda que ao ser ativada pela luz da clarabóia revela as camadas de sobreposições de cores como numa aquarela. 

A NACIONALIDADE DOS OBJETOS por Fernanda Lopes*

À primeira vista pode não parecer, mas o que Tamirys Araujo apresenta é uma exposição de pintura. Os trabalhos que vemos dão continuidade à investigação do espaço pictórico que a artista carioca, selecionada para a segunda edição do Programa Claraboia, vem realizando desde 2011. O maior deles encontra-se instalado na parede de cerca de 13 metros de comprimento do espaço expositivo. Como ponto de partida, Tamirys se apropria de suas pinturas e seus desenhos de observação antigos. As formas figurativas que antes estavam ali representando parte do mundo vão sumindo à medida em que ela recorta a superfície e aplica novas camadas de tinta não só no que seria a frente do papel, mas também no verso. As imagens reconhecíveis agora são cores-coisas: suas cores, que antes estavam atreladas às formas que a artista tentava representar (pessoas, coisas, paisagens), se apresentam agora como formas autônomas, que passam do plano bidimensional para o tridimensional, ao serem cortadas, dobradas, torcidas.

A prática da pintura também é o mote dos outros dois trabalhos. Feitos a partir de folhas de papel de seda, lidam com princípios históricos do meio, como a construção em camadas, a lógica de composição e sobreposições, além do interesse pela luz e pela transparência. Em um deles, as folhas ganham corpo em forma de balões de São João (reafirmando o interesse da artista por histórias e costumes populares), que se apresentam em forma de uma grande nuvem, suspensa no espaço. Em outro, Tamirys cria novas formas e cores a partir da sobreposição das folhas, que já trazem originalmente diferentes padronagens concebidas a partir da repetição de formas geométricas e que ganham variadas configurações a partir da alteração de suas cores. O resultado é um grande plano, que, como nos outros trabalhos, são corpos como os nossos no espaço. Nas pesquisas de Tamirys Araújo, a parede não é mais o único lugar da pintura.

*Este texto foi escrito por ocasião da exposição ‘A Nacionalidade dos Objetos'. 

LARGO DAS ARTES RESIDENCY PROGRAMME

The installations that were presented in this exhibition are the continuous desire to pursued painting in other mediums. The ‘Three-dimensional painting’ is the reorganization of the pictorial plane, initially, the paper is drawn on both sides, its rectangular shape is cut, folded and twisted to be transformed into a three-dimensional form. The ‘Pictorial-object I/ Balloon’ and ‘Pictorial-object II/Sky-light’ depicts the Brazilian popular culture through the patterns and forms of the silk paper. In the first one, the forms of the balloons itself compose a pictorial body that occupies the space of the gallery. And in the second one, the transparency of the silk paper is activated by the light that comes through the sky-light and it reveals the juxtaposition of colours just as in a watercolour

NATIONALITY OF THE OBJECTS by the curator Fernanda Lopes*

At first sight, it may not seem like, but what Tamirys Araujo presents is a painting exhibition. The artwork presented is an investigation of the pictorial space by the artist selected for the second edition of the residency programme ‘Clarabóia’ which takes place since 2011. Her biggest work is an installation and it occupies in length around 13 meters of the wall in the exhibition room. As a starting point, Tamirys takes some of her’s first observational drawings. The figurative form on her drawings that were there representing the world gradually disappears as she starts to cut them and applies more layers of paint, not only on the front of the paper but also at the back. The recognisable images were transformed into colours-objects: its colours, that were before attached to a figure (people, things, landscape) are now a autonomous form which goes from the two-dimensional to the three- dimensional space by cutting, folding and twisting.

 

The practice of painting is also the theme for the other two artworks. It was made of silk paper and it investigates the historical principles of the medium, such as the use of layers, composition, and juxtaposition, besides the interest in light and transparency. In one of them, the silk paper takes the form of June parties balloons (reassuring the interest of the artist for stories and cultural customs), together as a cloud suspended in space. On the other artwork, Tamirys creates new shapes and colours by overlapping the silk paper, which originally already had geometric patterns, it begins to get a variety of configurations and change in colours. A result is a huge plane that, like the other works, are as bodies in the exhibition space. In Tamirys Araujo’s research, the wall is no longer the only place for painting.

 

*This text was written on the occasion of the exhibition “The nationality of the objects’.